Pesquisar

07Nov

Escolha da melhor argila e seu preparo

Categoria // Tratamento natural e prevenção

Escolha da melhor argila e seu preparo

Neste post vou explicar sobre os tipos de argilas, em que temperatura utilizá-la, como é o tratamento com a argila e alguns casos de sucesso.
Saiba dos efeitos e benefícios da argila lendo meu post anterior “A argila e seus benefícios”.

Tipos de argilas

Existem vários tipos de argilas. Brancas, verdes, amarelas, vermelhas, roxas, pretas e cinzentas. A ideal para você é aquela que você se adaptar melhor. O usuário experimenta todas e a que ele tiver mais afinidade é a melhor para ele.

No livro Argila - um santo remédio e outros tratamentos compatíveis de Iracela Cassimiro Peretto, neta de índio, relatou um incidente com seu filho. Seu filho e ela estavam num sítio e ele foi atacado por um enxame de marimbondos pretos. Como o socorro médico não daria tempo ela pegou a terra que tinha em mãos. Era uma terra superficial pois ela não tinha ferramentas para pegar uma mais profunda e também mais pura. Passou o barro em todo o corpo do menino várias vezes. A dor sumiu já na primeira aplicação e depois de outras aplicações ficou apenas alguns pontos com inchaço. A argila se encarregou de tirar todo o veneno.

A terra e a argila tem propriedades mais ativas quando exposto ao sol, ao ar e a chuva. Ela deve ser desprovida de cacos de vidro, minhocas, esterco, adubo, e evitar a argila extraída de lugares úmidos e sombrios. A argila pode ser extraída a um metro de profundidade do solo. As camadas mais profundas encontram-se as terras mais puras.

Para guardar a argila recomenda-se o vidro, a madeira, o aço inoxidável, a louça ou esmaltados. A argila uma vez utilizada é descartada no lixo ou no solo (de volta à terra). Recomenda-se tirar todo excesso de argila com o uso de uma espátula e então descartar. Não é possível reaproveitar a mesma argila para outro tratamento. Ela perde seu poder absorvente e também já depositou todos seus agentes benéficos ficando desprovidos deles. Para tirar todo o resíduo de argila, use um algodão envolvido de gaze e utilize como se fosse uma esponja. Umedeça com água e limpe a pele. Para não entupir os canos, retire todo o excesso de argila da pele para depois se lavar.

Se utilizar um pote de vidro fino no preparo com a argila, ele se quebra. Não se sabe se ao encontrar a água sua radio atividade aumenta e por isso que se quebra. Mas por uma questão de segurança, ao preparar argila utilize um vidro grosso.

Quanto à sua temperatura

A temperatura da argila depende de alguns fatores climáticos e da pele do usuário. Uma pele congestionada, vermelha e quente precisa de argila fria e uma pele desvitalizada, fria e pálida, requer argila aquecida.

Para aquecer a argila, utilize uma panela e uma vasilha de vidro. Aqueça em banho-maria. Se a argila não estiver pronta para uso então faça um chá ou aqueça água, numa panela de porcelana ou de aço inox, e misture na argila, o líquido quente mas não fervente.
O aquecimento da argila faz ela perder suas propriedades, por isso aqueça somente o necessário e use toda a sobra. Não misture a sobra com a argila fria que nunca foi aquecida porque ela ficará descompensada.

Os cataplasmas quentes devem ser deixados por pouco tempo na pele pois debilitam. É indicado para relaxar músculos, ativar a circulação sanguínea, eliminar as toxinas, aliviar os tecidos do ácido úrico e melhorar a constituição óssea.

A argila quando colocada fria no corpo tem a intenção de tirar o excesso de calor então quanto mais aquecida ficar sobre a pele mais resultados obteremos. É o modo como a argila descongestiona os órgãos doentes, alivia a febre interna local e inflamação dos órgãos e músculos.

O Tratamento com argila

O tratamento com a argila não pode ser interrompido pois é um processo de revitalização e purificação. Caso interrompido, a cadeia se quebra e terá que começar o tratamento do zero. Então, antes de iniciar um tratamento com a argila deve-se pensar bem e ser persistente. Alguns tipos de problemas de saúde podem levar até um ano de tratamento. Mas a boa notícia é que os sinais de melhora são sentidos ao decorrer do tratamento e não apenas no fim.

O tempo de aplicação varia de uma, duas ou até oito horas. Se a argila absorver o calor do corpo e secar rapidamente, deve-se retirar a argila e reaplica-lá até terminar o tempo estipulado. Caso a argila fique muito quente mas não seque, ela também perdeu seu poder de absorção e deve ser trocada por outra. Em alguns casos, a pessoa pode dormir com a argila mas deve ser feita as trocas durante a noite.

Para cada queixa há uma recomendação específica do tempo de duração e da temperatura da argila. Normalmente o início do tratamento é feito com argila fria com duas ou 3 aplicações diárias, no período de 7 a 30 dias. Após este período, a aplicação da argila pode espaçar alguns dias, podendo ser feito 3 vezes na semana. E depois diminuindo cada vez mais. A frequência cai para 2 vezes por semana, 1 vez por semana, 1 vez quinzenalmente, e até chegar a uma vez por mês. Contudo, reitero que o tratamento é específico para cada pessoa.

No tratamento com a argila é normal sentir sensações estranhas de coceira, erupção e vermelhidão. As toxinas podem sair internamente do órgão e ser atraídas pela argila na superfície da pele. Muitos interrompem o tratamento pensando que a argila está fazendo mal para elas mas pelo contrário, a argila está purificando o corpo. É comum tossir ou soltar catarros em tratamentos de sinusite, gripes e resfriados. Isto é a argila agindo e purificando os órgãos. Portanto, não se assuste se o problema aparentemente piorar. Se houver muito incômodo, nervosismo e coceira é melhor retirar a argila e esperar um tempo para reiniciar o tratamento. Em alguns casos, o corpo pode estranhar o uso da argila e interpretá-la mal. Não faça nada a força e se seu corpo não aceita a argila, então não o force. Espere mais alguns dias e então recomece o tratamento.

Há pessoas que utilizam a gaze para facilitar a retirada da argila. A gaze fica entre a pele e a argila. Este recurso não é recomendado por mim, pois a gaze absorve os ativos da argila e na pele são depositados apenas uma parte desses ativos. Outro motivo é que os cataplasmas colocados direto na pele, depois de secar eles caem sozinhos como se tivessem alertando de que devemos reaplicar ou que simplesmente já acabou o tratamento. Ao contrário do que acontece quando usamos a gaze junto à argila, esta depois de seca não cai sozinha.

Casos de sucesso

Aqui vai alguns casos de sucesso em tratamento natural com a argila.
Caso I
Certa vez um rapaz sofreu um acidente de trânsito e ele se queixava de incômodo pelas sobras de cacos de vidro que ficara em sua pele já cicatrizada. Ele se submeteu ao tratamento com a argila e os resíduos do acidente foram extraídos sem que ele fizesse uma cirurgia.

Caso II
Uma senhora reclamava de dor abdominal após se submeter a uma cirurgia. Seu abdômen estava inchado então ela resolveu fazer o tratamento com a argila. Depois de uns dias recebendo os cataplasmas diariamente, apareceu uma saliência em seu abdômen e que depois começou a sair pus. O cirurgião extraiu o corpo estranho. Era uma gaze que tinha sido esquecida na cirurgia. A argila atraiu o corpo estranho para a superfície e para fora do corpo da senhora.

Vou preparar um post com algumas aplicações com a argila para tratar doenças comuns. Aguardem.
Dúvidas e curiosidades são bem-vindas. Envie um e-mail (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.) ou uma mensagem nas redes sociais do FaceBook e Instagram (#lalafuj).

Imagens de http://lovesujeiry.com e https://www.frontiercoop.com/

Larissa Sanefuji

Larissa Sanefuji

Nascida em São Paulo em 1987, Larissa Sanefuji é massoterapeuta, terapeuta holística e esteticista. Iniciou seus estudos na área com 14 anos e também deu sua primeira palestra sobre “Como aliviar suas dores no corpo?”.

Saiba Mais

Pesquisar

Mais Lidas

Larissa Sanefuji

Larissa Sanefuji

Nascida em São Paulo em 1987, Larissa Sanefuji é massoterapeuta, terapeuta holística e esteticista. Iniciou seus estudos na área com 14 anos e também deu sua primeira palestra sobre “Como aliviar suas dores no corpo?”.

Saiba Mais

Home
› LalaFuj
› Serviços
  › Massagem e Terapias
  › Estética
  › Workshops
  › Regressão

› Promoções
› Clientes
› Blog
› Contato
Como Funciona?

Facebook

Informações de Contato

 (11) 98791-1533
 (11) 98791-1533
 contato@lalafuj.com.br

Metrô São Judas

 Avenida Jabaquara, 2400 - loja 08 - Vila Monte Alegre - São Paulo - SP

Metrô Saúde

Rua Pereira Estéfano, 114 - 9º andar - sala 905 - Saúde - São Paulo - SP

Itaim Bibi

 Rua Tabapuã, 926 - Itaim Bibi - São Paulo - SP

Metrô Trianon Masp

Avenida Paulista 1159 - São Paulo - SP

Outros Locais de Atendimento

Metrô Santa Cruz
Metrô Jardim São Paulo
Metrô Eucaliptos